Notas não aleatórias

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

Arquivo para o mês “abril, 2014”

Dos selfies com frutas e a pureza das respostas

A moda é tirar selfie com frutas?
Prefiro café, pode?
Sem leite, sem açúcar,
Simples, puro, preto, amargo
Me faz mais feliz
Sem confusão, nem entrelinhas

Os humanos?
Eu, que não sou donzela em salão de beleza,
Que sou mais as putas, diria
Com afronta e com suor
Com amor, sem pudor
Para esses coxinhas valentes
Que tem essa cara amarrada
Que minha pele pede pele
E é na mistura que veremos
O que vai dar

2014-04-29 08.42.00
#selfiepraserdamoda
#hashtagpraserin

Poesia maltrapilha com inspirações musicais 😉

Odeio seu silêncio…

Odeio seu silêncio
E as formas como ele se expressa
Ecoando pelos corredores
Da minha mente, sem pressa

Não há nada aqui
Que possa ser deixado à saudade
Nem momentos contigo,
Como uma simples caminhada
Nas praças da cidade
Nem lembranças do cheiro,
Ou o som da tua risada

Não há nada aqui
E mesmo assim, nesse teu silêncio
Sinto-me um forasteiro em mim
Arrastado à vontade
De reviver tudo aquilo
Que encanta, e sabemos existir

Não há nada aqui
A quietude não deixa espaço
Para as lembranças
Dos dias que não tivemos

20131212
(imagem de http://www.macanudo.com.ar)

Poesia com participação de Phill-it (http://facebook.com/phill-it)

Frases da semana III (18/04/14 – 24/04/14)

Dando sequência à série “Melhores da semana”… Aiai, tem gente se repetindo (na semana e nas semanas…) ❤

-Nem todo mundo é inteligente E brilhante

– Eu me encantei desde o primeiro sorriso que ele me deu…
– E minha amiga Ana perdeu o rebolado… Mesmo com esses dois espelhos do mar no rosto 😉

– Uma mordidinha pra vc

– Dei uma de ana e larguei, azar

– Um pouquinho de Miwa proceis…

– Vaaaaaiiii

– Dona de olhos espelhos do mar, (…) Ah! Esqueci de dizer, Obrigado pelo presente 😀 😀 😀
[Menção honrosa, pois este merece a imagem, que fala também!!!
Foto do autor da frase. O plástico bolha que
veio junto do presente “de verdade”]

2014-04-25 00.20.22

Andam dizendo por aí…

Andam dizendo por aí:
Tu amas o amor
E amas amar
com intensidade

Eu diria mais
O intenso não me cabe
E quando a felicidade invade
Solto palavras ao vento

Eu diria ainda
Nem amor nem palavra estão no mundo para aquietar
Se gritamos tristeza para que nos encontrem e acalentem
Qual o motivo de não bradar o que transborda de encanto?

Andam dizendo por aí…
Não sei o que amas
A pessoa, a vontade de amar o amor
Ou a confusão gerada em tuas palavras

Eu finalizaria assim:
O amor é brega e intenso
de que vale a vida sem nunca abusar
Do amor com vontade,
Da confusão com encanto,
Dos ímpetos do coração?

O bom senso é companheiro sensato
Mas não ajuda a escrever poesia.

Inspirado no dito:
“Afirmava-me não ser difícil percorrermos um texto, apreendendo a essência e largando o pormenor. Isso me desagradava. São as minúcias que me prendem, fixo-me nelas, utilizo insignificâncias na demorada construção das minhas histórias. Aquele entendimento rápido, afeito a saltos vertiginosos e complicadas viagens, contrastava com as minhas pequeninas habilidades que pezunhavam longas horas na redação de um período. Julguei Sérgio isento de emoção, e isto me aterrou. Comovo-me em excesso, por natureza, e por ofício, acho medonho alguém viver sem paixões.” (Graciliano Ramos – memórias do cárcere).

Dos mistérios da distância silenciosa

Há quem diga que saudades de amor é sofrer
Eu digo: O dia que sinto tua falta
É por viver uma alegria intensa.
Por não estares junto,
não compartilhas felicidade
nem risada sincera ou gargalhadas espalhafatosas

Na minha rotina, amar é querer:
na euforia, no bem estar, no feliz viver!
Aqui, ou aí… Onde o amor estiver
Onde a amizade imperar
E a sinceridade residir

E tu? O que será que pensas agora?

Frases da semana II (11/04/2014 – 17/04/2014)

Dando sequência à série “Melhores da semana”… Das frases que foram interessantes nestes últimos 7 dias

– Só prá falar saudades
-Só para constar, também

– No meu tempo mulher briga prá não receber ‘favor’ de vagabundo…
– Tu tá parecendo uma La Bella!!! rsrsrsrs
– Não sei bem pq!!! (…) Tomarei isso como um elogio…
– Lógico! Eu adoro as mulheres da minha família!

– A gente te adora, japonesa de olho verde!

– hahaha O futuro é incerto

– Eu tô sem dinheiro…
– Eu posso pagar as bebidas!

– Puuuuuaaatzzz, que charme esse seu sotaque…

-Alas… acabei de trocar minha foto de perfil… Quem curte??? Asamiga

– Mas é que nem intolerância à lactose… Leite de soja não é leite, mas cumpre seu papel

pensando_palavras_ao_vento_as_coisas_que_sentimos

(foto de minha autoria)

Das recompensas

Gostos simples
Pequenos prazeres
O cheiro do café recém passado
O som da risada descontraída
Conversas sem rumo, nem propósito
Folhas balançando pela força do vento
Que anuncia a chuva forte que virá
E, quem sabe, tua companhia
Recompensa?
É viver o detalhe da vida,
Em miudezas cotidianas
Compartilhadas com quem quer,
Por simples querer
Se café, risada, conversa e som de chuva
Não é simplicidade em pura amizade
Não há recompensa suficiente…

Das raridades

A raridade de ser alguém
Que te inspira no sorriso
E na simplicidade de ser.
Sorriso se vê por aí
Aos montes pelo mundo.
A diferença, diria eu,
É a sinceridade que expressa.

E por mais que eu fale
Grite, reverbere o verso
Segues sendo o que,
Basicamente, és: amigo
E a tranquilidade ao falar
Cada vez, é o que me diz
Amigo: como poucos.

Frases da Semana (04/04/14 – 10/04/14)

Iniciando uma série (que pode ou não seguir…) de “Melhores da semana”… Sim, ditas para (e sobre) mim. Coisas que gostei (ou não) de ouvir. Fizeram pensar, remendar, chorar, rir, poetizar (pois o que escrevo, como disseram, é um diário de sentimentos… Eis alguns que fomentaram escritos – publicados/publicáveis ou não… 😉 )

– Você é desprezível e vai morrer sozinha (do mesmo que disse uma vez: Você é amável em tudo o que faz)

– Quero saber se vai ter parede com pelos cor de rosa e se posso assinar um cheque na saída só com “Tati” como a Anenha fez.
– Eu fiz?
– Ahhh tá que tu não lembra do cheque “Ana.” (assim mesmo: Ana, ponto)? Que o banco aceitou, por sinal!

– With your feet on the air and your head on the ground
Try this trick and spin it, yeah

– Anitaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
caracaaaaaaaaaaaaaaaa

– Você é charmosa (…) No embalo da impulsividade, gostaria de te ver agora.

– Ana, obrigada por existir

pensando_palavras_ao_vento_a_cada_dia

(foto de minha autoria…)

Dos maltrapilhos amores

Do sentir
Maltrapilho
Maltratado
Andarilho

Do falar
Verso
Prosa
Canto
Dança
Amor…
Para ti
Por ti
Sem ti
Sem eu
Sem nós
Sem voz
Algoz
Amor
Que
Sem ti
Sente
Feroz
Falta
Sem dor
Ou amor
Sem calor

Pois ama
Fala
Canta
E sente
Maltrapilha
Maltratada
Andarilha

não me encontro
(imagem de http://www.macanudo.com.ar)

Navegação de Posts

Caderninho de Ideias

Pra escrever o que eu acho sobre tudo que gosto!

TROVANDO ideias

TROVANDO ideias

cozinha pra machos

todo mundo pode cozinhar

Escreva Lola Escreva

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

Ecce Medicus

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

Blog do Sakamoto

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

%d blogueiros gostam disto: