Notas não aleatórias

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

Dos mistérios da distância silenciosa

Há quem diga que saudades de amor é sofrer
Eu digo: O dia que sinto tua falta
É por viver uma alegria intensa.
Por não estares junto,
não compartilhas felicidade
nem risada sincera ou gargalhadas espalhafatosas

Na minha rotina, amar é querer:
na euforia, no bem estar, no feliz viver!
Aqui, ou aí… Onde o amor estiver
Onde a amizade imperar
E a sinceridade residir

E tu? O que será que pensas agora?

Navegação de Post Único

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Caderninho de Ideias

Pra escrever o que eu acho sobre tudo que gosto

TROVANDO ideias

TROVANDO ideias

cozinha pra machos

todo mundo pode cozinhar

Escreva Lola Escreva

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

Ecce Medicus

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

Blog do Sakamoto

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

%d blogueiros gostam disto: