Notas não aleatórias

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

Alguém te vê

futilidades aparentes
turbilhão escondido
corre na praia, sorri no sol
cai na gandaia até amanhecer
todas olham fragmentos teus
admiram com declarado deleite
tuas formas, tuas cores, teus traços
mas quando a noite toma conta
o silêncio se instaura
estás sozinho: alguém te vê?

há quem diga que ele se delineia claramente
atrás de um ego camuflando a intensidade
a óbvia intenção de verdades
em um mundo de possibilidades

voraz caminho que deseja traçar
em passos teimosamente demarcados
em excessos de cuidados com o que ama
em ações anunciadas de um gostar
sem receios ou arrependimentos
esboçadas em cores em um papel
só não vê quem não quer

Como tu te mostras?

Como tu te mostras?

Navegação de Post Único

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

caderninhodeideias.wordpress.com/

Pra escrever o que eu acho sobre tudo que gosto!

TROVANDO ideias

TROVANDO ideias

cozinha pra machos

todo mundo pode cozinhar

Escreva Lola Escreva

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

Ecce Medicus

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

Blog do Sakamoto

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

%d blogueiros gostam disto: