Palavras ao Vento

penso, logo escrevo!

Arquivo para o mês “janeiro, 2016”

Sobre o querer

Última poesia da série Retrospectiva 2015: a mais lida do ano!
Sobre vontades que não se findam com a distância (nem com segundos que passam calados…) ❤

Palavras ao Vento

É que minha vontade de ti
não se finda com a distância
ou com os segundos que passam
c  a  l  a  d  o  s

É que sei por quem minha pele clama
O sabor que deixa saudades
A intenção que teu sorriso denuncia
Quando o silêncio de teus olhos
Repousam em meu corpo
Que, sedento, responde: quero mais.

#AtéaExaustão #EuQueroSempreMais #AtéaExaustão
#EuQueroSempreMais

Ver o post original

Tigo

Retrospectiva 2015:
“Prá fazer poesia para mim tem que ter a palavra Tigo”
“Tigo não é palavra”
“Tem que ter a palavra Tigo”
Tá bom… 😉

Palavras ao Vento

com sigo tenta carregar silêncio
mas nos instantes de conversas distantes
regurgita ansiosa palavras esparsas
só zinha: respira, inspira, pira.
impasses de dias inertes que buscam
o dia que com Tigo esbanjará sorrisos com Migo
mais uma vez

#unpoquitomas Com Tigo #unpoquitomas
Com Tigo

Ver o post original

Esse babaca

Notas sobre o olhar, o silêncio e a saudade… Notas sobre o coração, esse babaca!
Mais um da série “Retrospectivas 2015” ❤

Palavras ao Vento

Notas sobre olhar
sustenta
silenciosamente
sorrisos
sem
sentido
Notas sobre o silêncio
suspirar
sonoramente
soltando
saudades
sem
sentido
Notas sobre saudades
soturna
sensação
sentida
sem
sentido
Notas não aleatórias
[sobre a vida, o olhar, teu silêncio, minha saudade]
– Sem sentido?
– Com sentido não consentido. O coração, esse babaca.

Notas sobre o óbvio... (imagem de Ricardo Liniers) Notas sobre o óbvio…
(imagem de Ricardo Liniers)

Ver o post original

Notas sobre insistências e a amizade

Retrospectiva 2015:
Tem sempre aquele ser cujo diálogo resulta em escritos… Ainda bem que o amor não é esperto [mas é paciente, quando vale a pena… E essa amizade vale 😉 ]
Notas sobre uma insistente amizade…

Palavras ao Vento

– Quase relapso (escreve o garoto)
Ela sorri, enquanto lê num sussurro.
Segundos antes de responder, solta uma gargalhada alta, dessas que ecoam dentro de nós, antes de se libertarem aos brados [até que todos os vizinhos, mais uma vez, a tomem como maluca por rir sozinha assim]. E, finalmente, escreve de volta, o óbvio:
– “Quase”, diz o garoto. Que babaca.
Nem bem leu a réplica dele, ela já declarava:
– Ainda bem que o amor não é esperto. Se assim fosse perderias um dos melhores da tua vida (eu, no caso).
– hahaha.

Nesses momentos, a garota sempre lembrava de um café a toa, em um desses dias que deviam ser banais. Mas eis que banalidade nunca fora o que os regeu, desde que o ímpeto de respondê-la pela primeira vez o acometeu. E antes disso, desde que uma foto (sua preferida), com olhar perdido e cansado a instigou a escrever uma poesia…

Ver o post original 226 mais palavras

Minha pele

Retrospectiva 2015:
É… E quando a gente menos espera, somos tomados por silêncio e calmaria. E tem como minha intensidade calar meu verso?

A vontade me invade os instantes… ❤

Palavras ao Vento

Mas é na calmaria de um olhar
Repousando em mim, silencioso
Que me percebo sorrindo sem cautela

É ao me acomodar por inteira
No conforto de teu abraço
que deixo a preguiça nos ocupar

E no olhar, no abraço, na preguiça
No som da voz, no sorriso… Ah, no sorriso…
É ali que me perco, toda vez…

E tem como não sorrir de volta ao sentir o teu olhar?
E tem como não me espreguiçar em teu aconchego?
E tem como minha intensidade calar meu verso?

É pelo prazer de uma barba que passeia sem promessas
Da trajetória de teu toque suave em meu corpo
E do castanho de teus olhos compenetrados nos meus
Que sei que minha pele sente tua falta
Meu pudor se esvai e declaro:
A vontade me invade os instantes

#SorrisosEOlhares ;) #SorrisosEOlhares
😉

Ver o post original

Escrita, café e sentimentos inventados

Retrospectiva 2015:
Não tinha como ficar sem este escrito! A maluquice de gostar demais, beber muito café e escrever sobre gostar e beber café: esta sou eu!

Sentimentos inventados (adoro), dedicados, descritos… É, sempre tem um bichinho besta no meio do caminho…

Palavras ao Vento

Escrever é mais sobre cafuné bem feito e sorriso sincero, do que sentimentos inventados em tardes amenas.

Mas principalmente (e sempre e toda a vida) sobre um começo de dia com café sobre a mesa. Não há manhã que se salve sem um bom café…

– Nunca?!?

Ah! Existe… Nesses casos, todavia, trata-se mais das tais invenções em noites (nada) amenas, que terminam em bocejos prolongados entre um suspirar e outro, naquele cansaço preguiçoso que aguarda, apenas (e deliciosamente) o sono vir, enquanto a xícara de café (uma para dois) esfria despretenciosamente na mesa ao lado.

É que em momentos assim o café acontece só no período da tarde…

( e a manhã não foi salva! Foi condenada a passar em silêncio, entre pernas enlaçadas em um sono sincero, de uma exaustão extasiante)

Escrita, café e sentimentos inventados Escrita, café e sentimentos inventados

Ver o post original

Atordoa

Retrospectiva 2015: um ano que esta que vos fala amou intensamente a vida, a escrita, o desejo da pele que pedia: pele.
“Atordoa” é um tantinho de 2015 e suas intensidades… não podia ficar de fora 😉

Palavras ao Vento

Andava pela rua
amando sob a lua
agonia de quem cultua
ansiedade da vontade crua
atordoado pelo sabor de tua pele…
n u a
abraço
(Imagem retirada do site:

Ver o post original

Exaustão

Iniciando a Retrospectiva 2015 do blog, relembro uma das produções com Phill Souza, amigo, co-autor, poeta, músico – multigente que mora no meu coração!

Como o usual, um escrito feito a partir de diálogos… Exaustão fala de esse nosso modo de sentir, de amar, de escrever [por amar].

Palavras ao Vento

O dia em que te procurei
com amor, por amor…
Disseste: não existe mais tal sensação.
Estou sem amor, vazio.

Então,
Foi
Sem amor
Só suor
Simples
Puro
Indecente
Sincero
Suor

Sem amor,
Somente
sincero
suor
Até a exaustão
(Poesia feita em parceria com Phill-it – http://www.facebook.com/phillitnow)

#AtéaExaustão #EuQueroSempreMais #AtéaExaustão
#EuQueroSempreMais

Ver o post original

Mira, garota…

Aqueles dias em que paramos a fim de mirar a paisagem
respira e se deixa impregnar pelo ar da maresia
estanca de repente, permita que o tempo passeie pela tua vida
inspira, suspira: mira com vontade! Retoma o que te passou…

[é chegada a hora da retrospectiva 2015!]

mira, garota... Foto de Rebeca Funke

mira, garota…
Foto de Rebeca Funke

Navegação de Posts

Caderninho de Ideias

Pra escrever o que eu acho sobre tudo que gosto!

TROVANDO ideias

TROVANDO ideias

cozinha pra machos

todo mundo pode cozinhar

Escreva Lola Escreva

penso, logo escrevo!

Ecce Medicus

penso, logo escrevo!

Blog do Sakamoto

penso, logo escrevo!

%d blogueiros gostam disto: