Notas não aleatórias

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

Arquivo para o mês “maio, 2016”

Boas da Barra: aquele conjunto de pessoas

Aquele conjunto de pessoas que parecia improvável
cada uma a seu jeito de vestir, de pensar, de viver
cada uma em um canto, se afastando pelo tempo
um tempo da vida que vira adulta, que vira trabalho
que vira família, falta de tempo, excessos de tudo
A questão é que se afastar é para quem vê de fora
o que une não é o todo dia, não é a rotina
nem o que distancia é tempo ou espaço.

Aquele conjunto de pessoas que parecia improvável
cada uma a seu jeito tem história que se fez
em horas que passavam desapercebidamente rindo na praia
cantando repetidamente a mesma música um final de semana inteiro
em festas à fantasia, com concentrações estratégicas
em festas estratégicas, em noites sem fim
em vizinhanças de portas, que eram desculpas de encontros frequentes
e procurando no meio de um estacionamento
por horas (talvez minutos?)
a nécessaire preta, cadê a nécessaire preta?
cadê a nécessaire preta, a chave do carro, a chave de casa?
cadê a noção na hora do cheque assinado?
cadê a concentração na saída de campo pós-festa?
cadê esse conjunto?
Está tudo guardado em uma história do encontro:
nos fondues anuais, nos churrascos e nas pizzas
seja em fotos divas ou viradas na praia
seja em fotos fofas em churrascos
seja em fotos lindas no início da festa [e malucas no fim]
Está tudo na vontade de organizar a agenda para romper
distância, tempo, espaço

Aquele conjunto de pessoas que parecia improvável
gosta de mostrar que improvável é ficar sem amar
a história, o sorriso, a bobagem, a felicidade
o jeito da Bina falar miando ‘ai guriaaass’
o jeito da Nena ficar vermelha com cerveja
o jeito da Caracol tanto se amar
o jeito da Lala, ao se invocar, suspirar antes de gargalhar
o jeito da Lisi ser quieta e irônica
o jeito da Anénha sorrir com a língua entre os dentes
o jeito da Tatiélen sempre [sempre] sorrir enquanto fala.
Vocês já perceberam? Tatiélen é atenta ao ouvir, e sorridente ao falar.
Só se atrapalha quando?
Quando perde.

Perde o quê?
– a nécessaire preta. Ou a quantidade de “esses” que tem nessa palavra.
cadê a nessssssesssssáire preta?

Aquele conjunto de pessoas que parecia improvável
para quem de fora olha, não sabe que, dentro de uma barra,
tem sempre aquele conjunto de pessoas, que não a toa, ecoa:
são as boas.

179972_520909934636026_1412187588_n

boas da barra ❤

Sobre Cultura do Estupro: precisamos falar

Cultura: não como o ápice do melhor já feito e produzido pelo ser humano.
Ao falar em “cultura do estupro“, a palavra cultura refere-se aí àquelas práticas cotidianas que não apenas formalizam a violência do estupro em si, mas que possibilitam que esta seja executada cotidianamente e a reforçam como natural de um ser sobre outro.
A cultura do estupro, meus caros, é legitimada por cada assédio e abuso moral, físico, psicológico, sexual entre um ser humano [comumente homens] e outro [comumente mulheres]. E a cada aceitação disso – por mulheres e homens. Ou mais que aceitação: banalização, silenciamento, produção de piadas e compreensão de que este “costume” nos modos de falar e agir do homem como agressor se dá por sua “natureza”, e da mulher como vítima se dá por uma “procura” pela agressão (ou afeição à mesma).
Cultura do estupro é o que faz, cotidianamente, mulheres terem receio de passar por homens na rua – sejam eles quais forem. Não é só o medo de ser violada cotidianamente – é o medo de ouvir, de novo e repetidamente, as mais insanas verborragias sobre nosso corpo e como ele poderia ser usado [repito: cotidianamente] por puro deleite do homem – sem que nosso corpo seja considerado nosso, nossas vontades nossas, nossas ideias de como usarmos NOSSO corpo e nosso prazer.
Cultura do estupro é dizer que vivemos cotidianamente SIM sob égide de um padrão cultural que mesmo frente à evidência tácita de violência, questiona-se o ato e se banaliza o corpo e a alma usurpada. Cultura do estupro é ouvir de alguém, como piada, que é gênio deixar uma mulher bêbada para transar com ela. Cultura do estupro é achar que uma menina com filho é puta e isso justifica dopá-la e transformá-la num túnel. Cultura do estupro é achar que por uma mulher gostar de sexo grupal, 30 homens podem usar o corpo dessa mulher sem seu consentimento. Cultura do estupro é a piada e o escárnio cotidiano. Cultura do estupro é o homem se sentir vítima por nós, mulheres, termos medo de sermos vítimas.

Cultura do estupro é o que vivemos SIM! Não minorize a luta desprezando o que se diz de CULTURA – como aquilo que é “o melhor produzido pelo ser humano”. Cultura é prática, cultura é cotidiano, cultura é o que produz e como produz um país.
Produzimos SIM homens e mulheres que não se solidarizam com a dor de uma violação corporal, produzimos SIM o medo de mulheres frente a homens, produzimos SIM a banalização do corpo da mulher, produzimos SIM a legitimidade do homem usar e abusar, violentando nosso corpo, nossos ouvidos, nossa rotina diária. Não minorize isso.

E homens, por favor, ao invés de assombrar-se com o fato de que você ~não é todo homem que~, assombre-se com o fato de que nós, mulheres ~todas nós~ já sofremos com isso. Assombre-se por fazer parte de um grupo que causa medo e lute contra isso entre teus amigos, familiares, filhos, pai, tios, primos. Pare de se vitimizar e compreenda o que é uma CULTURA que permite que você seja visto assim: todos os dias.

Não são monstros que estupram: são homens, SIM.
2

O medo nosso de cada dia

Dilacera a carne
viola o corpo
finda a alma
cospe, ejacula, ignora
é só corpo, carne, coisa
exibe, ri, goza
é só uma piada.
xinga, culpa, julga
é vadia, tava pedindo, foi pro baile
a roupa é curta, o decote profundo
ela queria, não era virgem, já tem filho
é novinha, mas corre atrás do moço
sabe? É instinto, ele não consegue segurar
E ela? Nesse dia?

É mais um dia, sai na rua
Com que roupa?
Com qual batom?
Com qual decote?
E a saia? Aparecia o tornozelo?
Assim não pode
tá pedindo
tá deixando
tá querendo
tá, sim, merecendo
Se tivesse em casa
se tivesse na igreja
se tivesse trabalhando
se tivesse calada
se tivesse casada
Se não tivesse: vida
Salva estaria.

Que ódio é esse, mina! E eu? Não sou assim!
Nem todos são assim
Nem todos riem da piada
Nem todos contam a piada
Nem todos te ofendem
Nem todos te cantam na rua
Nem todos te passam a mão, a rola, o corpo, a língua
Nem todos te querem violentada
Nem todos te querem morta
Nem todos te querem exposta
Nem todos se compadecem
Nem todos te respeitam
Nem todos te olham
Nem todos se interessam
Nem todos são odiáveis
E eu digo: nem todos são odiáveis, mas nenhum sente o que é cotidiano.

Cotidiano? Como assim?
Aquilo que nós, mulheres, vivemos,
à cada saída na rua:
o apelo do cuidado
a sede pelo corpo
o anseio dos pais
o chiado do abuso
a mão que persegue
a rola que roça
os olhos que perseguem
todas vivemos: o medo.

Tu te ofendes por não ser todos?
Pois eu sinto medo: como todas.

2

eu sou contra a cultura do estupro

De ciência, bar e cervejas: a vida

E quem disse que é boa, certa, prudente?
E quem disse que é fácil, bonita, atraente?
E quem disse que é séria, simples, não reticente?

A vida, meu caro, é feita de tropeços e atropelos
Rotinas descabidas, horários descompassados
Um cotidiano que se faz e se desfaz, todo o tempo
Para, ao fim e ao cabo, olharmos para trás e falarmos:

Lembra aquele dia?
Que o bar apostou as fichas
Entre risadas e cervejas
Rodadas científicas
pairavam no ar!

13243982_1097565543637126_5024229821678229541_o

Um Brinde à Ciência!!! #pintofscience #pintbr #pintofsciencebrasil #pint2016 

 

Sê tua sede

Ele parece a toa
mas se denuncia no olhar atento
na sutileza dos movimentos
na miudeza das conversas
longe ou perto, parece a toa
sorri com bobagens (todo o tempo)
e embora se faça de malandro
(e prefira o termo vadio)
o desconforto do desconhecimento é evidente
minúcias de um garoto, muito ego
em um viver inseguro, sedento de vontade
de crescer e ser o que nele se vê: (in)sana ambição
8672515880_7b6dac4ed9_o

Frases da Semana LXX

Aquela semana com muita conversa? :p

– vcs querem algo da rua?
– paz mundial
– um presidente novo
– um presidente novo e uma porção de batata frita
– e uns ministros tb, por favor

– Eu achava que era difícil sabe?
– o quê? Engenharia Naval?
– Sim…
– Mas Engenharia é difícil, Naval deve ser mais ainda…
– É, é difícil. Mas quando eu entro no 3ºb eu penso que era fácil…
– hahahahaha. Cálculos da Naval são fáceis, difícil mesmo são os pequenos do 3ºb!

– tamo aí sem ter negociações em vista
– kkkkkkk sei sei
– rsrsrs, verdade, perdi todo meu gado rapaz
– kkkkkk, aaaata
– talvez eu esteja dispensando algumas oportunidades huauhahuauhauha. Admito
– Talvez?????
– to com preguiça.

– Eu ia fazer uma ironia. Mas tu estás puto e com razão vou me abster. E agora?
– Vender o corpo para arrumar
– Rsrsrs. Migo eu te amo. E o sexo é bom. (Ótimo, eu diria…). Mas não é assim pra conseguir dinheiro com isso
– kkkkk. Desmerecendo meu sexo
– Não não. To dizendo que não tem preço. Mas tem valor
– Kkkkkkkkkkkkk
– Tinha. Teve. Ahhhhh meudeus. Fiquei nervousa.

– Agora fodeu. Quero treinar e achei outra nerd!
– hahahahahahha.

– Vou lá descarregar a carência no saco de areia.
– oh dó!
– kkkkk
– Vai lá, não vou estragar o grande momento do saco de areia ❤

[conversa de grupo]
– Eu adoro gordinho gente kkkkkk fazer o q
– falar em gordinho, quem era o cara da foto, dona?
– Amigo de infância…
– Ahhhh, achei que era peguetes…
– kkkkkk amigo só.
– Pensei que era gado novo!
– Gado veio! E nunca foi gado. Tá bonitinho. Gordinho fofo
– E repararam que ele tava muito barbudo?
– Siiiiimmmm
– Prá agradar quem? A amiguinha do berçário!
– Ele sempre usou barba kkkkkkk Deixe de onda maluca
– eu sempre sou daquelas que acho que os amigos de infância fazem coisas pra agradar as coleguinhas que eles amam em segredo
– hauahuhuahuahuahau. Não não.
– HAUSHUHSAUHSUAHSUHSAUHSUSHUA

[conversa de grupo]
– Não vou clicar
– Parei! Juro. kkkkk
– Obrigada!
– Vale nada! Capiroto do olho junto.
– Pessoa tá aqui estudando história da ciência. Blá-blá-blá. E a outra atentando aí. PELAMOR
– kkkkkkkkkkk
– Ela arrasa né, o cérebro nosso de cada dia.
– Cê gosta, eu sei que cê gosta!
– me desgraça a cabeça.
– Minha flor
Gostar é pouco
Aqui a gente trabalha na base do ardor
AMOR
Amoooorrrr
Errei
– hehehehehe. Ardor tb.

– Dessa vez não vou mais. Chega.
– Coitado.
– Coitado. Tu tá de brinqs amigo. Na boa.
– kkkkk. Sim
– O cara tá me perdendo.
– Se ele soubesse da missa a metade. Pois é.
– O maior babaca da história :p
– ba ba ca.
– kkkkkk ❤

– é um lindoooo
– Talvez. Kkk
– kkkkk. eu que sei
– Você é um amor
– sou nada
– Eu que sei. Hahahaha
– hahaahahahahah

– Porque eu pelo menos caminho muito, e não sinto cansaço nem fadiga. E ando em passos largos
– Eu não
– E rápidos. E sensuais. Claro
– Pq tenho pernas curtas. Mas sensuais tb. Hahahahaha
– Sim. Tens pernas belas também. Porraaaa hahahaha estamos falando de coisas sérias hahahahahaha
– Hahahahaha. Sim
– Não há como conter :p
– Hahahahaha. Só estamos recuperando velhos hábitos :p
– Sim. Hahaha

– A Cultura vai me redirecionar todos os livros sem custo… A maluca faz um rolo sem tamanho e eles vão pagar… Acho que esses livros sairão caros para eles kkkk
– da próxima vez que você fizer um pedido vão te remanejar para a Saraiva kkkkk
– kkkkkk. “Essa maluca de novo não!”
– “Lá vem a doida que não sabe onde mora”
– hahahahahhahaha. tem endereço no Ceará, Goiás (dois em Goiás), Campinas, São Paulo, Mato Grosso, Porto Alegre…
– ou devem achar que vc é doida ou cigana.
– no caso, acertariam nos dois!
– kkkkkkk

– Eu iria só pra te ver. (E uma guria que é daí tbm que ando batendo um papo :p)
– olha eleeeeeeee
– hahaha
– “eu vou dizer que vou te ver só prá tu ficares feliz, mas na real vou ver uma outra pessoa”
valeu
valeu MESMO
M E S M O
– poderia ser um mentiroso. Mas NÃO SOU.
– rsrsrs. Odeio vadio mentiroso.

– Tem razão de novo
– Eu sei 😌. Acontece kkkk. Ai ai
– É bom vê-la com a autoestima elevada. Rsrs
– Hahahahhahahahahaha. Deve ser. Quando ela estiver assim te aviso. Para me veres (drama mode on). Hahaha
– Hahah

– oi!
– vc é muito antenada! Viu que eu curti sua foto né?
– hahaha vi sim!

[conversa de grupo]
– Pronto. Ainda encerrei de boa e sem pressão. I AM ON FIRE BABY
– Hahahaahahhahaahah
– 🔥🔥🔥🔥🔥🔥🔥. 😂😂😂😂😂. 👏👏👏👏👏
– Hahahahahah
– AEEEEEEE. nem parece a loka de sexta
– Então. Tava de tpm. Confirmei hj. 😁
– uhahuahuahuahua. eu tava na quinta. To confirmando hj tb
– Vish. Eu tbemmm. Tpm Loka loka
– affff. Agora os hormônios se combinam virtualmente tb? Pelamor socorro
– Tava me perguntando isso. Hhaajahhaahahahahh. Concorrência sexual biológica virtual. 😱
– uhahuahuahuahuahuahua
– Hahaha pqp
-Gnt, eu tb tava. A minha acabou hj
– Q loucuraaaaa

[conversa de grupo]
– fulano me atentando logo cedo.
– Gosto assim!
– Eu gosto de prática! Tá muito teórico issae!
– Tudo vadia. V.A.D.I.A.
– ahahhahahahhaha
– v a d i aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa ❤

1980254_1016817958341902_2763864290697660009_o

#tudovadia #inclusiveeu

Rotina

o gosto pelo mundo que te faz fuga
me faz rota eventual
passagem em passos apressados
delineados com acaso

o teu jeito desleixado te faz fugaz
em meu corpo, insano intencional
encontros esparsos, dias desabitados
em uma vida de descaso

não te gosto por inteiro
não te amo todo o tempo
não te quero encerrado
não te desejo satisfeito

eu anseio prazer mundano
sedenta por sorrisos à toa
dispersões estratégicas
em caminhadas ao luar

eu quero ser tua não rotina
poesia inconforme
de amar diferente
todo o dia

21013285156_3c3d4333bc_o

 

Frases da Semana LXIX

Semaninha recheada 🙂

-Booom dia
Sua linda
Dos olhos maravilhosos
Voz sensual
Inteligente
E cheirosa
Mas uma bebada
🙂
HAHAHAHA
– kkkkkkkkkkkkkkk

[conversa de grupo]
(…)
– Então, por exemplo… Se a gente cria uma bactéria ou vírus, que infecte somente pessoas abaixo de 1,50m de olhos claros, por exemplo. Tem como fazer isso?
– Em termos de tecnologia…
– Peraí! Tchê! Velho… Tu não gostastes MESMO do que eu falei sobre o tema né? Cara, quer me matar desse jeito? Porra mano…
– Não! Mano, não!
– HAHAAHHAHAHAHAAH
– HAHAHAHAHAAHHAHA
– HAHAHAHAHAHAHAHAH
– Não! Desculpa, não vi.
– Porra… to mal.

– To surtando!
PEGA NO FLAGRAAAAAAAA (até pausei o surto)
[print com comentário em perfil alheio]
– Comentei msm! haahahhahahahaha
– Eu vi né…

– Mano eu sou muito foda.
[print]
– MANO, TU TENS QUE SER ESTUDADA, SÉRIÃO
– Hahahahaya, Pq?
– Me fizeste gargalhar no meio da padaria aqui
– Hahahahahahaha
– Com toda a artimanha pra arrancar informação do garoto, Genial
– Anos de prática, Credo acho q sou doente. Hahaha
– Não sei se és doente. Mas que tinha que ser ESTUDADA tinha

– E estamos na terça ainda…
– kkkkkkkk “to boiando”. adoro o jeito que homem finge que não entende o que estamos falando.

– Agora vc já pode me ensinar esse truque
– qual?
– de parecer 10 anos mais nova
– seja sedentário.

– Eu certamente não pareço em nada com os caras com quem você já se relacionou. Tenho certeza.
– pq?
– Porque deves sair com homens acima dos 35 anos, brancos, não-marombas.
– o não marombas acertaste
(…)
– Parece ter um certo tipo de preconceito de sua parte hahaha Com quem tem o meu tipo de físico.
– não, eu respeito o corpo de todos, rsrsrs.
– Bom.
– Eu não disse que não respeito, disse que tenho outra preferência.
– você é livre para gostar do que quiser. Mas é meio limitador. Talvez te impeça de se envolver com pessoas legais.
– Eu também não disse que isso me impede de me relacionar com ninguém. Viste? De quem é o preconceito?
– Da forma como disse, pareceu 😛
– Não. Veja bem, quando me perguntaste o que eu gosto em um homem respondi o q? Sobre o corpo ou o que pensa?
– Sobre o que é mais conveniente, talvez
– perguntaste depois o que olho fisicamente… respondi. Mas nunca disse que isso era impedimento de qualquer coisa. não não, respondi sobre o que faz eu me envolver: inteligência, simpatia, sarcasmo, não ser machista. Isso é prioritário em qualquer nível.
– ok. hahahaha
– Quem falou, por exemplo, que eu não devo me envolver com homens como tu, foste tu… rsrsrs. Quem tem uma ideia formada sobre o que eu vejo, me envolvo e penso: és tu. haahhaha menino..
– hahahahaha. Ainda reverte o jogo. ai ai hahahaha
– óbvio.

[conversa de grupo]
– ixi, tem que dar um tempo dele, ele saiu 3x em dez., depois em janeiro e fevereiro.
– ahhhhhhhh dá tempo não!
– mas depois de fevereiro não teve.
– vamos postar ele na nossa vida 😛
– pode postar sim.
– na minha cama: quero

– teu sorriso é um dos mais bonitos da fanfab, pegava fácil #prontofalei
– eu pegava também #prontofalei
– hahahahaha então tem tempo perdido aí #sóacho #prontofalei
– #sóacho2

[conversa de grupo]
– vixi, pau tá quebrando, mil notificações
– huahuahuauha
– ah lá, colei no post errado! kkkkkkk
– nude! nude!
– nude! nude! nude!
– era no outro!
– ahahhahahahahaah
– ahahhahahahhaha

[conversa de grupo]
– já to é louca prá só acompanhar
– eu to é louca prá beijar geral
– #prontofalei
– #prontofalei
– deus me segura, to muito vadia
– kkkkk eu encerrei os trabalhos.

[conversa de grupo]
– aí a pessoa liga a playlist e tá tocando o q? “yestarday, all my troubles seem so far away” ahhahahahaha.
– vou chorar, desculpe mas eu vou chorar
– NÃO NÉ! ME MATA
– mano, n fala de chorar q eu já chorei
– Isso nem tem aqui
– passei a música e começa o q? “vai passar nessa avenida um samba popular (…) Dormia A nossa pátria mãe tão distraída”
– aí sim
– essa playlist tá de brinqs comigo…
– miga tua play tá pesada…
– tb acho
– porra…
– vai cortar os pulsos aí
– “por falta d’água, perdi meu gado, morreu de sede, meu alazão”. Sério… kkkkk. uhahuahuauhauhahuauhahuauha. to é gargalhando aqui. TPM da desgraça
– HAUSHUAHSUAHSUAHUSHAUSHAUS. perdi meu gado mesmo. mas n foi falta d’água
– HAAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAAHAH
– Migs, vcs estão loucas.

– Duas besta rindo pq nosso fotógrafo favorito curtiu a foto! HAAHHAHAHAAHAHAHAHHAHA
– ai ai. vcs são bonitas
– olha! vou tirar print e mandar pra ela
[resposta do print]
– AVEMARIA GANHEI MEU DIA HOJE.

– Se um dia eu desistir não será anunciado!
– kkkkk desistência sem prévia notificação?
– Eu só insisto enquanto acredito.
(…)
– Mas vc vai ver, vou ser muito bom, minha meta é vc se orgulhar de mim.
– ahhahahahaha ❤

– calma! Gaste em cerveja e comida e seja feliz!
– Já sou feliz, babaca.
– kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
o
o
oo
o
o
o
o
o
o
o
o
q
u
e
– B
A
B
A
C
A
– babaca?
babaca?
baaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaabaca
– Sim. Hahahahahahaha. O outro ofendido. Insinua que eu sou infeliz e fica de mimimi depois
– Não insinuei nada

– bla bla bla
– Rsrsrs. Agressividade meu amor. Cultura de ódio issae
– kkkkkkkkkkkkkk

– Fervi 1L de café extra forte, e tomando vi que não pus açúcar… Porque de doce, só eu já basta. Né?! Hahahaha. Bom Dia ♥
– Isso. De doce na vida basta nós ❤ Bom dia
– Sempre haha. Com uma leve fermentada lager, pra ficar mais fino 😂
– Hahahah. Não consigo levantar
– Quer ajuda? 🌝
-Se eu tiver tua ajuda aí que não levando msm kkkk
– Hahaha. Ajuda pra ficar mais confortável em sua cama 😁
– Aceito 😍
– I know

– quando eu digo que é capitania hereditária
– concordo com vc
– meu amor, sério, sérião. sério mesmo! eu só erro em uma coisa na minha vida.
– o q?
– amar o cara errado. de resto… afff eu arrebento!
– kkkkkkkkkkk
– 😃

Captura de Tela 2016-01-20 às 21.34.09Captura de Tela 2015-09-01 às 17.21.57

Em verso

Em qualquer caderno meu encontro:
saliva, pele, vontade.
Pedaços de falta ou constância
abocanhadas com dentes e garras
Palavras e rascunhos, desejo e silêncio
barba, cafuné e saudade.
Tu em verso
[e só]

2014-12-31 12.14.30

#SóParaOsRaros #Poesia

Mudo mundo

Mudo mundo contemporâneo
Esbaforido de ruído e sensações
[sem sentido]
bloqueios [teus] que silenciam
[meus] mundos e vontades

virar de uma página

#viraapáginaemedeixeentrar

Navegação de Posts

Caderninho de Ideias

Pra escrever o que eu acho sobre tudo que gosto!

TROVANDO ideias

TROVANDO ideias

cozinha pra machos

todo mundo pode cozinhar

Escreva Lola Escreva

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

Ecce Medicus

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

Blog do Sakamoto

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

%d blogueiros gostam disto: