Palavras ao Vento

penso, logo escrevo!

Arquivo para a categoria “Parcerias”

A casa é sua

Ele desponta na próxima esquina, sem rumo, nem destino
encanta, sorri, abraça, morde, dorme, acorda, delicia o dia
enquanto na vida, num repente, se aconchega no sorriso
desmonta o coração, a calmaria, intranquila mania da menina
que reluta, em sua armadura constante, estranha dureza cotidiana.
Reluta, até o abrigo do cafuné na barba, do ímpeto da poesia,
do suspiro prolongado e diz:
Se achegue…
A casa é sua, seu moço, pode entrar.
Faz da vontade, morada,
não repara na poeira, minha esdrúxula bagunça,
o último morador não soube cuidar.

(poesia em Parceria com Simone Bispo, do blog Dona Bispa)

poesia

Foto retirada de:http://data.whicdn.com/images/7514103/tumblr_lha5u6MBLA1qbujfgo1_500_large.jpg?1298833476

[Versos Gritados]

Meu silêncio inexiste
Nas linhas minhas
Nos versos gritados
Em sussurros inconstantes

Teu silêncio ressoa
Na inquietude insistente
Na rouquidão de esperar
Um fim
[ou recomeço]

#VersosGritados

#VersosGritados

Série Versos Gritados, escrita em parceria com Phill-it

(http://www.facebook.com/phillitnow)

A poesia se faz

No auge da rotina, em enfadonhos dias
são naquelas conversas comuns
seja nas pautas banais
seja em confissões usuais
que nos fazemos presente
e nos conhecemos mais e mais

tornamos, assim, a distância sem sentido
pois próximo é o olhar e o sorriso
a sincronia de ideias,
a perspicácia do pensamento
o amor pelas palavras
reciprocidade de sentimento:
A poesia se faz em nós.

(Para Phill-it)

<3

Exaustão

O dia em que te procurei
com amor, por amor…
Disseste: não existe mais tal sensação.
Estou sem amor, vazio.

Então,
Foi
Sem amor
Só suor
Simples
Puro
Indecente
Sincero
Suor

Sem amor,
Somente
sincero
suor
Até a exaustão
(Poesia feita em parceria com Phill-it – http://www.facebook.com/phillitnow)

#AtéaExaustão #EuQueroSempreMais

#AtéaExaustão
#EuQueroSempreMais

Efêmero instante

Retrospectiva 2014: A melhor parceria foi com Phill-it (http://www.facebook.com/phill-it). E, para mim, “Efêmero Instante” foi a melhor poesia de nós dois! ❤ 🙂
Que venham novos escritos em 2015.

Da série: Eu não tenho sorte no amor, por isso escrevo...

Da série: Eu não tenho sorte no amor, por isso escrevo…

Palavras ao Vento

Cansa
O eterno instantâneo
Que envelhece conosco
Como uma teia
Em nós, por nós
A cada momento

Cansa
O eterno efêmero
Fugaz, que esvai
Voraz, que esgota
Extenua, dissipa
Cada acontecimento

E ainda assim
Cansa
Mas ama
E aguarda
Que o instante
Efêmero instante,
seja eterno

Colaboração de Phill-it (http://www.facebook.com/phill-it) em diálogos produtivos nas madrugadas insones 🙂

Ver o post original

Das manhãs de domingo…

Um feixe de luz invade o quarto
Um trajeto simples, direto
Escapa pela cortina, até colidir com a parede
Acho que permaneci aqui
Mirando, sem pensar
Por um bom período de tempo
Dormindo de olhos abertos
Esperando uma suave brisa
Fazer dançar a luz
E movimentar o dia

(Poesia de Ana Arnt e Phill-it)

Acho que permaneci aqui Esperando uma suave brisa <3

Acho que permaneci aqui
Esperando uma suave brisa

Mais um dia, menos de um tempo

No corredor
Porta entreaberta
Roupas deixam rastros
Na direção de um dos quartos
Não resta nada…

Ele sentado em sua cama
Mãos na cabeça,
Suspiro ecoando nas paredes
Um intenso amor, uma paixão,

Ela, com desdém, se vai
Um suave caminhar para fora da casa
Pensamentos em silêncio
Uma noite longa, um pouco de nada

Mais um dia,
menos de um tempo
De sono, de sonhos,
De uma vida vazia

#maisemenos

#maisemenos


Imagem de http://10paezinhos.blog.uol.com.br

Poesia feita em colaboração com Phill-it (http://www.facebook.com/phill-it)

Das idealizações [Se fecho os olhos]

Se não vejo, não sinto
Se não sinto, é porque não vi
E assim seria ideal

Idealizações de uma vida…
Decidir quando e quem
Chega, permanece, encanta

O ideal vislumbra na calmaria
Uma felicidade constante, irreal
Uma rotina pacata,
Sem instante, sem invasão

E quem quer uma vida
Decidida, exata?
Prefiro sorrisos sinceros,
Que insurgem em rompantes
Prefiro fechar os olhos e ver
sentir, gostar, errar, amar

Se não vejo, não percebo,
Se não percebo, não sinto,
Se não sinto, não existe…
E assim seria o ideal
Mas quando fecho os olhos
És a única coisa que vejo

Mas quando fecho os olhos...

Mas quando fecho os olhos…

Poesia feita em parceria com Phill-it (http://www.facebook.com/phill-it)

Efêmero instante

Cansa
O eterno instantâneo
Que envelhece conosco
Como uma teia
Em nós, por nós
A cada momento

Cansa
O eterno efêmero
Fugaz, que esvai
Voraz, que esgota
Extenua, dissipa
Cada acontecimento

E ainda assim
Cansa
Mas ama
E aguarda
Que o instante
Efêmero instante,
seja eterno

Colaboração de Phill-it (http://www.facebook.com/phill-it) em diálogos produtivos nas madrugadas insones 🙂

Odeio seu silêncio…

Odeio seu silêncio
E as formas como ele se expressa
Ecoando pelos corredores
Da minha mente, sem pressa

Não há nada aqui
Que possa ser deixado à saudade
Nem momentos contigo,
Como uma simples caminhada
Nas praças da cidade
Nem lembranças do cheiro,
Ou o som da tua risada

Não há nada aqui
E mesmo assim, nesse teu silêncio
Sinto-me um forasteiro em mim
Arrastado à vontade
De reviver tudo aquilo
Que encanta, e sabemos existir

Não há nada aqui
A quietude não deixa espaço
Para as lembranças
Dos dias que não tivemos

20131212
(imagem de http://www.macanudo.com.ar)

Poesia com participação de Phill-it (http://facebook.com/phill-it)

Navegação de Posts

Caderninho de Ideias

Pra escrever o que eu acho sobre tudo que gosto!

TROVANDO ideias

TROVANDO ideias

cozinha pra machos

todo mundo pode cozinhar

Escreva Lola Escreva

penso, logo escrevo!

Ecce Medicus

penso, logo escrevo!

Blog do Sakamoto

penso, logo escrevo!

%d blogueiros gostam disto: