Notas não aleatórias

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

Imprudências

Rara leveza imprudente
de conversa sutil,
sorriso inconsequente

expele palavras
constância do sentir
confusões do amar

demasiada,
mente
demasias: folia

olhar insalubre
fabrica fugas,
ébria sombria

entorpecida pelo desejo
registra, inexistente desapego
da vida, estanque momento

Sua rara leveza:
imprudência da menina
pensando palavras ao vento

cafe-8

A casa é sua

Ele desponta na próxima esquina, sem rumo, nem destino
encanta, sorri, abraça, morde, dorme, acorda, delicia o dia
enquanto na vida, num repente, se aconchega no sorriso
desmonta o coração, a calmaria, intranquila mania da menina
que reluta, em sua armadura constante, estranha dureza cotidiana.
Reluta, até o abrigo do cafuné na barba, do ímpeto da poesia,
do suspiro prolongado e diz:
Se achegue…
A casa é sua, seu moço, pode entrar.
Faz da vontade, morada,
não repara na poeira, minha esdrúxula bagunça,
o último morador não soube cuidar.

(poesia em Parceria com Simone Bispo, do blog Dona Bispa)

poesia

Foto retirada de:http://data.whicdn.com/images/7514103/tumblr_lha5u6MBLA1qbujfgo1_500_large.jpg?1298833476

Frases da Semana LXXII

Duas semanas, algumas risadas, surtos e que tais: eu sou, imatura. Mas fofa 🙂

[conversa em grupo]
– Eu queria ser seu suor para percorrer o teu corpo inteiro
– AHASHAHAHAHAHAHAHHAHA
– mano, parou, não dá para competir com essa mina
– vou ter que anotar essa para usar outro dia

– a razão que eu pensei em vocês não é pq vocês combinam… É pq eu acho que vocês dois merecem uma pessoa madura na vida de vocês, um relacionamento maduro. Eu penso em vocês e acho isso.
– … [uma semana raciocinando]

– como é que tu sabes que eu faço isso se estás dizendo que eu não te contava
– Pq conheço vc. Logo…
– rs
– Sei que vc faz
– viu pq eu não me entrego? rsrsrs. PQ AS PESSOAS SACAM O PIOR DE MIM
aiaiai…
– Pior não. Vc estava me perguntando pq acho algo imaturo em vc
– sim, e perguntei para ti não é a toa né… Tu sempre tem umas meio inesperadas que me fazem pensar
– é que sou burro com força e mostro outra visão da realidade.
– tu não és burro. huahuahuahuahua
– Ainda falo Top
– porra velho que besta [mas falar top é foda…]
– ahiuhauhauhauha
– é que tu és minha exceção à regra
– Crush é pior
– crush é pior de todas
– mas mesmo sendo exceção, não fala top nem crush… portanto 🙂
– AUHAUHAA. Quero discutir com vc assim
– como assim?
– Textos curtos fáceis de ler enquanto trabalho. kkkkkkkkkkkk
– hahahahaahahhahaha
– E o Bolsonaro
– sem textão. Aiai
– Não sou a favor dele
– se não quer textão não provoca
– uhahuahuahauhuahuahua

–  Eu acho que o dia que você falar pra mim que concorda com alguma posição minha, o sabor na sua boca, acho que vai ser vinagre
– ahahahahhahaahahahhahahahahahhahahahahahahah sabor vinagre, eca
– eu concordo em tanta coisa contigo garoto, deixe de onda
– Kkkkkkkkkkkkk
– e mimimi sou eu

– bah, não fala assim dela tb né queridão
– kkkkkkkkkk
– enfim, eu to adorando… passou da hora de alguém dar um para-te-quieto nele
– “queridão”
– huahauhauhauhaua. não queria te chamar de babaca após ter chamado o bolso… achei que seria pesado [aquela que não admite que compara pessoas]
– Essa geração mmimimi minha querida
– mimimi teu cu 💜

– huahuauha como assim maluca? eu fico ANOS matutando na fala das pessoas :p
– Q bom né q vc matuta nas coisas q as pessoas falam. Quer dizer q vc se importa
– ah sim. de quem me importa. rs
– Certissima. Sou igualzinha. Punheta mental eterna
– kkkkkkkk. por isso a gente surta, convenhamos

[conversa de grupo]
– Tipo: tomara que pise num lego em dia bem frio
– Hahahahahaahahahahahahahahahaahahah
– Tomara q fique cheia de espinha
– Tomara que tenha filhos vegetarianos
– Cruzesssssss
– Não pode ser praga de morte entende. De resto vale
– Hahahahahaahahahahahahahahaha
– Tomara q tenha colicas
– Doença tb não vale. Ahhahahaha. Cólicas vale
– Todo mês
– Filhos vegetarianosss
– Pior. Filhos veganos
– “Naaaaaoooooooooo ”
– Issaeeeeee
– E heteros e gostem de sertanejo. E villa mix
– Hahahahaha
– Hahahahaahahahahahahahahaah
– Tomara que gostem de cidra de maçã
– Tomara q falem “top”
– HAHAHAHAHAHAHAHA
– E dêem boa noite faces
– HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
(…)
– Gente To chegando no menino. 😘
– IIIh vai da namoro isso aí hein? 😘
– 😂😂😂😂😂😂😂😂 Né?!
– Ahhaha olha a praga dela
– 😏😏😏😏😏 “Bandidinha”. Esse era da mamis tbem. Bem bom esse pra vc
(…)
– Gntttt, perdi os xingas..droga. Mal caráter, esquisitona, bruaca, bruxa keka
Hahahahahahhahahahahaha nossa é tão legal xingar
– Hahaaa
– Bruaca é muito massa. Xingamento de Vó
– É sim ahahaahahha
– Eu curto bruxa keka

[conversa de grupo]
– Vim aqui dizer: Duas vezes. Acho que dá tempo de mais uma 😁. Beijos
– Oxe. Com quem? Mas gente!
– Como é? Com quem? Pera, o quê? 😁😅
– Kkkkk. Ele mandou eu vir Sou obediente :p
– AHAM
– Hahahaha
– 😊
– Quero tb 😍
– Agora pode vadia. Entregou trabalho e pá
– Coisa mais fofa
– Mano, ele n vai aguentar kkkkkk
– Mordidas 🌝
– vadiagem da porra, vocês duas

– nos falamos então
– [eu acho essa expressão péssima, devo te dizer]
– qual?
– *nos falamos. Super implico com ela
– why?
– rsrsrs
– assim como implica com aqueles que tiram o “visto por último”
– pq é a expressão de quem não quer falar e se despede com isso… “a gente se fala”
“vamos nos falando” = tchau, até o acaso forçar esbarrar em ti novamente. huahuahuahuahuahu. implico com o visto por último pq issae é passe livre prá vácuo
– já entendi
– implico pq sou implicante cacete. acontece :p
– entããão. bom trabalho
– beijo
– nos falamos O:)
– beijos
– não me deixa nem procrastinar em paz eu hein. beijooooo
S
*beijos
– hauhauhauha. procrastines à vontade meu bem rsrsrs. beijo na sua boca
– BeijoSSS na boca, pq gosto de vários 🙂
– vários
– rsrs vou trabalhar, chega

– Tá trabalhando né? Vou te deixar quieto kkk
– Estou trabalhando mas dá pra surtar um pouco
– kkkkkkk

– Buenos dias
– bOM DIAAA
– 😒
– que foi?
– Tá relapso
– pq?
– Pq eu não gosto de dar bom dia primeiro. Já disse que me acostumaste mal hahahaha
– huahuahuhauaha
– Eu sou imatura mesmo. Nem To
– Pq?
– Hahaha pq fico mendigando bom dia kkkk
– Kkkkkkkkkkkkk
– Mas mendigo só do senhorito
– ahauhauha és uma linda mesmo viu
– Ahhahahaha tenho que concordar contigo 🙂
– kkkkkkkkk

[conversa de grupo]
– e vcs vão chegar cedo?
– Mas só tenho bonitinha vovozinha. Kkkk👵🏻
Acho que sim. Máximo 20h. Acho
– ah ok. vcs me avisem quando estiverem indo…  eu vou de vestido 😀
– Show. Uiu
– e coturno e tals. huauhahuahua
– Vestida para matar. Kkkkkk
– nops. prá deixar vivo u.u
– Hushusssssss
– [o outro não tá lendo isso né? grata]. huauhahuahuahuahua
– Kkkkkkk vai ler depois
– hahahahahha 🙆🏻
– tudo bem, depois que eu vi os vídeos dele comendo nutella ontem. desisti de achar que ele é sério
– Sensualizando. Não é nada sério. Nem eu. Kkkkkkk
– pois. huahuahuahuahauhua. eu nunca fui
– Tamu junto!!!
– Não li nada. Juro.
– Aqui: nutella não é tudo isso.

– Então, vamos na sexta?
– Não entendi o que é
– Lançamento de cerveja, super legal, de um amigo carioca, biólogo
– Ah! Massa, vamos sim!
– O cara é biólogo, vai estar cheio de nerd da bio lá, blogueiro da divulgação científica
– hahahahaha, tá tentando me convencer?
– é…
– ok! Convencida, óbvio, cervejas e nerds cervejeiros, adorei.
– legal!
– ah! E aí a gente tira foto e manda pro nosso amigo, ele vai morrer de ciúmes que a gente se vê em dias diferentes da terça-feira
– Isso!!! (…) Nossa você é má né? Que horror…

– É que eu sempre acho que eu sou grossa tá ligado? Mas eu sou fofa
– É. vc é. Até hoje não me esqueço quando postei a foto no lugar errado e sai correndo pra apagar, por medo das suas patadas. kkkk. “O garoto, você é burro, não é pra postar foto aqui nos comentarios”. Essa seria sua resposta, mais ou menos isso
– HAHAHAHAHAHAAHAHAHAHHAAHHAHA. que mentiraaaaaaa. porra. eu sou super fofa
– mas vc é meio ogrinha que eu to ligado

Tempo

Tempo1

Desacostumar-se [com palavras]

Não gosto de silêncio, de ruído, de paz ou de tormenta.
Não gosto do conforme, sublime calmaria intranquila da submissão (pensada ou não).
Daquilo que corrói por prender em aquietamentos, ideais de neutralidades, pífias vontades de tranquilidade, em um sofá de comodismos? Não gosto.
Não gosto de sentir esse peso da rotina, aprisionamentos costumeiros de horários, vestimentas, cortesias e desmandos à toa.
Não gosto do olhar fugidio e julgador, que silencia vozes, a minha voz, reafirmando o que está posto sem deixar o pensamento emergir.

Eu gosto do teu sabor, contraditório, teimoso, voraz.
Tenso, me desafia, transforma, disforme inconstância.
Gosto do sorriso incrédulo frente a miudezas cotidianas.
O que movimenta, ou faz parar (retomar o fôlego em suave descansar), e movimenta novamente.
Gosto do som baixinho e inconstante de tua respiração, quando se aproxima de minha pele.
Gosto do silêncio que fazes ao mirar, mimar, cuidar, tocar.
E da risada de quem desacredita na inocência alheia, pasmo diante de cegueiras crédulas.
Eu gosto. Da calmaria do sono, da turbulência da vida.
Gosto, salivo, d.e.s.e.j.o.

Gosto. Mas não te conheço.

protagonista

Persigo o mundo! #protaagonizo

tempos vazios

tempos de poesias fugazes
sobre amores vorazes
e sentimentos vazios

tempos de amores vazios
sobre poesias vorazes
e sentimentos fugazes

tempos de sentimentos vorazes
sobre amores fugazes
e poesias vazias

tempos vazios
(sem ti)

#SobreExistir

 

Frases da Semana LXXI

Acumula… fica difícil ❤

[conversa de grupo]
– RECITA A POESIA E FALA NO FINAL
FULANA, TE DEDICO
todo mundo vai pirar
– kkkkkkkkkkk
– haahhahaahhaah
– vai na minha que é sucesso!

– É um querido! Vai lá, eu to trabalhando… 😚
– ahhh, e eu atrapalhando!
– rsrsrs. Sim, um pouco. Mas eu adoro. bjo
– haha. E eu nem tirei a roupa ainda
– hahahahaha MANOOOOOO eu to numa palestra! ahhahahaha
– huahsuhsauhsuahsua parei.

[conversa de grupo]
– Gente. Fui no cara da acupuntura. Pqp.
– ahahahhahahahahaha
– O médico fez massagem com óleo.
– A outra vai no médico e volta louca.
– pqp
– adoro
– Se ele imaginasse o sorrisinho de baixo daquela toalha Rsrs. Medooooo de mim.
– Um mulherão desse. Se ele imagina. Sei.
– Acho que não, eu disfarço bem.
– Disfarço bem. AHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
– AHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
– rsrs
– Ri pq sabe que disfarça: NADA.

[conversa de grupo]
– E quando a pessoa comenta e vc não entendeu bulhufas do que ela falou Rsrs
– mó doida a menina
– vim aqui só pra dizer que adoro a palavra bulhufas. beijos
– hahaahhahahha

– enfim. Cada vez que eu fico com um cara sem barba eu me lembro pq gosto de barba. Não dá.
– Hahahahaah

[conversa de grupo]
– Tu tá na TPM de novo?
– Hahahahah. Se pá
– Pq eu menstruei de novo
– Hahaha
– tá foda meu ciclo caralho
– Hahaha
– vai rindo. dessa vez ao menos não tive tpm
– Eu tô tendo tpm. Vide surto de ontem
– SÉRIO? jura juradinho que era tpm flor?
– Hahah. Juro
– nuss, jura
– Mim deixa. To sofrenu
– deixo pq te amo ❤️ mas que tava foda tava. aliás, minhas respostas para ti podem ser da tpm tb. pq óia. ontem eu suspirei umas 2 vezes
– Hahah como assim? Não vi nada errado com suas respostas
– não viste pq não viste minha cara de “essa mina tá LOKA”. Suspirava e respondia
– HAHAHAHAHA. Falsaaa. 💔
– eu não sou falsa. só que não adiantaria te chamar de louca. então eu suspiro e te aviso depois. kkkkkkkkk
– Hahaha. Mto amof.
Amor*
– amof = amor com mofo
– Hahaha

– sim sim precisamos ver isso
– Ver, sentir, saborear, d.e.g.u.s.t.a.r
– nossa! Degustar
– sim. Pele, saliva, dentes, deleite. Sem prazos, e um só compromisso: nossa vontade.
– o.o

[conversa de grupo]
– E toda vez q vir com conversa mole eu vou bem ali toma um cafézim. Ou caça um “cara melhor pra mim”… q na minha tradução significa “um cara com um pênis maior e que faça direito… melhor ainda se for sexo conceito… sem mimimi, por favor”
– Hahahahahahaha
– Até rima
– Tá até fazendo poesia com a desgraça do macho

[conversa de grupo]
– GENTE ARRANJEI UM BOY PRA ELA. (falei q tava calma)
– HAHAHAAHHAHAHAHAHAHAHAHA. LOKA
– Hahahahahhahahahahaha. Cola ni mim q é sucesso. Arranjo par pra todo mundo menos pra mim
– hahahahahahahahahahahahahahaha
(…)
– é magrela (não à ponto de ser pseudônimo)
Ossudo* autocorretor piradao
– é magrelo
– Hahahaahahaha
– ma-gre-lo
– Pseudônimo foi ótimo
– é que ela não entende o conceito de macio
– E qto a barba da pra deixar cresxer
– e vcs não tão vendo ela
– Sim!
– mas eu imagino ela com sorriso escancarado na sala dela, junto com os gatos
– Hahahahhahah gnt ele é bonitinho
– só pq eu falei com ele hj, 😒
– De pijama no quarto, mas q sorriso?
– HAHAAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH. TO DIZENDO
– Hahahaahahahhaahhaha. Morri
– TE ACALMA VADIA
– Hahahhahahhaa
– MANO
– ontem quando eu vi que ela convidou prá ir no cinema junto pensei: aí oh a vadia armando
– Ele dá um pau nos bunda cu q vc tem saído. HAHAHA
– tu és vadia demais

[conversa de grupo]
– Pijama é sexy ué
– mas acho q ele ta com problemas pessoais sexys.
– HAHAHAH
– LI O SEXY E BOTEI NA FRASE. era pra ser SERIO
– kkkk

– Eu cuido de quem eu amo. Seu babaca
– ❤
(…)
– ❤ me comportei hj viste? nem te incomodei :3
– Vi sim
– Me chamou de babaca e sumiu
– hahahahahahahahahahahaha

[conversa de grupo]
– hahhhaahha
– eu acho que vo me apaixonar por essa peste desse professor. gente, o homem sabe usar vírgula, crase, lê poema. é barbudo. cheiroso. trepa bem. EU TÔ É MUITO FUDIDA
– FODEU, VIU
– F O D E U
– hahahaha. ADORO.

[conversa de grupo]
– Nem juntei o gado direito e já tô desfazendo. O povo pensa que é fácil juntar gado!
– Affff. Eu to lendo as notícias com calma. Pq ontem fiquei sem condições
– Inclusive, bota no frases esse aviso, pq esse povo tem q entender q juntar gado é puxado!. 😫
– Hahahaha muito. Eu to aí sem gado tb. Ontem fiquei com um cara. Sem barba. Traí o movimento

[conversa de grupo]
– Bom diaaaaaa 😎
– Pela quantidade de aaaaaa
– Kkkkkkk
– Kkkkkkkkkk. Ainda tô aqui

– inda bem que não fomos no filme porque estou saindo da agência só agora
– Puuuutz. :/. Nesse frio ainda… Kkkk a gente ia ter que levar uma cobertinha pra ver o filme :/
– Uma fogueira
– Kkkkkkkk vdd. Aí podia ter pinhão ao invés de pipoca 😁
– Ou um aquecedor. Hahahaha
– Ahhhh fogueira é mais legal
– Com pinhão na brasa e tal (a gaúcha falando kkk)
– Combina com chimarrão?
– sim ❤

– Tava passando sobre o Pint os Science aqui no jornal. E eu doido pra te ver Hahahahaha. Bom dia ♥
– Sério???? ❤

– Fui visitar meus pais no domingo. Em Mairiporã
– : ) eu acho bonito estes nomes indígenas. Mairiporã. sonoros. rsrsrs [a loka viajando logo cedo]
– Acordando com uma nerd com Fulano.
– Kkkkk

– afff, valho nada
– Hahahahahahaha. Eu também não valho. Por isso pego todo mundo hahahaha
– huauhahuahua. acho que por isso. sei lá. me identifiquei pacas
– hahahahahhaha

– hahaha. podia ser toda sexta e sábado
– Podia
– na verdade até poderia, mas nem sempre é com quem quero
– Concordo. Mas são tempos difíceis.😕. To feliz com meus “a cada 10 dias”. Não me prendo a questões de final de semana ou não 😛
– (…) Ah bom… Se for com quem eu quero aí ferrou 😕
– confesso que dispensei uma sexta, claro que dei uma desculpinha. na verdade adiei pra terça. mas nem sei se quero. Vai chorar pelo outro lá já?
– Dispensou “por enquanto” hahahaha. Não vou chorar por ele não. Falei o nome dele? Não né.
– E precisa? Hahaha
Sua linda mais querida do universo
– Hahahaha seu lindo mais querido do universo: eu sou apaixonada por um. Mas assim, trepar, trepar mesmo eu tenho uma check list 😀
– Hahahaha mas o papo era com alguém que queria. Isso vale pra sua check list tbm
– Eu tenho check list de quem eu quero ué
– Ah sim
– Ele tá na check list. Óbvio. Mas não é o único
– Com mais uma galera junto. Hahahaha
– Um de cada vez
– Claro. Sim sim, um por vez né

– É que um abraço hj caia bem. 😦
– kkkkk
– parei de mendigar
– Se eu conseguir sair as 16 da qui vou correndo até vc dar um abraço, ajuda?
– Ajuda. Kkkkkk. Mas não quero te atrapalhar
– vou tentar. Vc não atrapalha. nuncaaaaaa!
[ganhei meu abraço ❤️ por isso amo]

– Te admiro por tantos motivos diferentes que não sei nem por onde começar. Mas gostaria que tu soubesses disso. Emoticon heart
Own .É recíproco

– em breve. [mentira, queria hoje, mas saciarei isso em breve]
– kkkkkkk ta certo, vamos saciar em breve beijos
– rsrsrs. beijos
e um cafuné
perto da nuca
junto
com
minha
respiração
ofegante
[parei]
– assim não dá!

[conversa de grupo]
– Aí chego em casa e mainha já me enche o saco, mas eu dei e tô zen. Vai xingar as paredes
– Kkkkk
– tudo piranha

1980254_1016817958341902_2763864290697660009_o

Ao som de uma Rabeca: memórias

ressoando na sala,
riso e deleite,
alegria e harmonia,
dor e pezar
leveza de um narrar
memórias de uma Rabeca

13173489_1227200817319953_4494603419951587481_o

Poesia feita a partir do espetáculo: Memórias de uma Rabeca, da Cia. Mundu Roda

Boas da Barra: aquele conjunto de pessoas

Aquele conjunto de pessoas que parecia improvável
cada uma a seu jeito de vestir, de pensar, de viver
cada uma em um canto, se afastando pelo tempo
um tempo da vida que vira adulta, que vira trabalho
que vira família, falta de tempo, excessos de tudo
A questão é que se afastar é para quem vê de fora
o que une não é o todo dia, não é a rotina
nem o que distancia é tempo ou espaço.

Aquele conjunto de pessoas que parecia improvável
cada uma a seu jeito tem história que se fez
em horas que passavam desapercebidamente rindo na praia
cantando repetidamente a mesma música um final de semana inteiro
em festas à fantasia, com concentrações estratégicas
em festas estratégicas, em noites sem fim
em vizinhanças de portas, que eram desculpas de encontros frequentes
e procurando no meio de um estacionamento
por horas (talvez minutos?)
a nécessaire preta, cadê a nécessaire preta?
cadê a nécessaire preta, a chave do carro, a chave de casa?
cadê a noção na hora do cheque assinado?
cadê a concentração na saída de campo pós-festa?
cadê esse conjunto?
Está tudo guardado em uma história do encontro:
nos fondues anuais, nos churrascos e nas pizzas
seja em fotos divas ou viradas na praia
seja em fotos fofas em churrascos
seja em fotos lindas no início da festa [e malucas no fim]
Está tudo na vontade de organizar a agenda para romper
distância, tempo, espaço

Aquele conjunto de pessoas que parecia improvável
gosta de mostrar que improvável é ficar sem amar
a história, o sorriso, a bobagem, a felicidade
o jeito da Bina falar miando ‘ai guriaaass’
o jeito da Nena ficar vermelha com cerveja
o jeito da Caracol tanto se amar
o jeito da Lala, ao se invocar, suspirar antes de gargalhar
o jeito da Lisi ser quieta e irônica
o jeito da Anénha sorrir com a língua entre os dentes
o jeito da Tatiélen sempre [sempre] sorrir enquanto fala.
Vocês já perceberam? Tatiélen é atenta ao ouvir, e sorridente ao falar.
Só se atrapalha quando?
Quando perde.

Perde o quê?
– a nécessaire preta. Ou a quantidade de “esses” que tem nessa palavra.
cadê a nessssssesssssáire preta?

Aquele conjunto de pessoas que parecia improvável
para quem de fora olha, não sabe que, dentro de uma barra,
tem sempre aquele conjunto de pessoas, que não a toa, ecoa:
são as boas.

179972_520909934636026_1412187588_n

boas da barra ❤

Sobre Cultura do Estupro: precisamos falar

Cultura: não como o ápice do melhor já feito e produzido pelo ser humano.
Ao falar em “cultura do estupro“, a palavra cultura refere-se aí àquelas práticas cotidianas que não apenas formalizam a violência do estupro em si, mas que possibilitam que esta seja executada cotidianamente e a reforçam como natural de um ser sobre outro.
A cultura do estupro, meus caros, é legitimada por cada assédio e abuso moral, físico, psicológico, sexual entre um ser humano [comumente homens] e outro [comumente mulheres]. E a cada aceitação disso – por mulheres e homens. Ou mais que aceitação: banalização, silenciamento, produção de piadas e compreensão de que este “costume” nos modos de falar e agir do homem como agressor se dá por sua “natureza”, e da mulher como vítima se dá por uma “procura” pela agressão (ou afeição à mesma).
Cultura do estupro é o que faz, cotidianamente, mulheres terem receio de passar por homens na rua – sejam eles quais forem. Não é só o medo de ser violada cotidianamente – é o medo de ouvir, de novo e repetidamente, as mais insanas verborragias sobre nosso corpo e como ele poderia ser usado [repito: cotidianamente] por puro deleite do homem – sem que nosso corpo seja considerado nosso, nossas vontades nossas, nossas ideias de como usarmos NOSSO corpo e nosso prazer.
Cultura do estupro é dizer que vivemos cotidianamente SIM sob égide de um padrão cultural que mesmo frente à evidência tácita de violência, questiona-se o ato e se banaliza o corpo e a alma usurpada. Cultura do estupro é ouvir de alguém, como piada, que é gênio deixar uma mulher bêbada para transar com ela. Cultura do estupro é achar que uma menina com filho é puta e isso justifica dopá-la e transformá-la num túnel. Cultura do estupro é achar que por uma mulher gostar de sexo grupal, 30 homens podem usar o corpo dessa mulher sem seu consentimento. Cultura do estupro é a piada e o escárnio cotidiano. Cultura do estupro é o homem se sentir vítima por nós, mulheres, termos medo de sermos vítimas.

Cultura do estupro é o que vivemos SIM! Não minorize a luta desprezando o que se diz de CULTURA – como aquilo que é “o melhor produzido pelo ser humano”. Cultura é prática, cultura é cotidiano, cultura é o que produz e como produz um país.
Produzimos SIM homens e mulheres que não se solidarizam com a dor de uma violação corporal, produzimos SIM o medo de mulheres frente a homens, produzimos SIM a banalização do corpo da mulher, produzimos SIM a legitimidade do homem usar e abusar, violentando nosso corpo, nossos ouvidos, nossa rotina diária. Não minorize isso.

E homens, por favor, ao invés de assombrar-se com o fato de que você ~não é todo homem que~, assombre-se com o fato de que nós, mulheres ~todas nós~ já sofremos com isso. Assombre-se por fazer parte de um grupo que causa medo e lute contra isso entre teus amigos, familiares, filhos, pai, tios, primos. Pare de se vitimizar e compreenda o que é uma CULTURA que permite que você seja visto assim: todos os dias.

Não são monstros que estupram: são homens, SIM.
2

Navegação de Posts

Caderninho de Ideias

Pra escrever o que eu acho sobre tudo que gosto!

TROVANDO ideias

TROVANDO ideias

cozinha pra machos

todo mundo pode cozinhar

Escreva Lola Escreva

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

Ecce Medicus

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

Blog do Sakamoto

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

%d blogueiros gostam disto: