Palavras ao Vento

penso, logo escrevo!

Arquivo para a tag “Silêncio”

Estranhezas e vazio

a estranheza de querer uma só palavra em meio à multidão

e o eco do silêncio se fazer sentir

[teu silêncio grita, se faz ruidoso vazio
e
só]

Silêncio e vazio

[teu silêncio ecoa vazio…]

e só.

ele entende - ele pensa

Sobre o amor e outras falsas verdades

Naturaliza o silêncio
Os passos do rubor
Da palavra mal dita
Do suor sem vontade
Do sim sem verdade
Insosso cotidiano
Costumeiro, acostumado
Invade a vida, senta na cadeira
E fica ali, acumulando: pó
E quando sai, sacode
Em cinco linhas, sem frases, sem fala, nem coragem
Se espanta com o sorriso do alívio, do outro
Depois da tempestade

Ardor intenso no sábado à tarde
Fome eterna sem saciedade
Maldita? Pele, barba, sorriso
Arranha, ri, morde, goza
G A R G A L H A
E nos dias cinzas, colore a vida
E sabe suportar, em silêncio ou aos brados
Intempéries de tristeza e sanidade
Ou instantes de voraz alegria
Deleita-se com a feliz conquista, do outro
Só pelo outro ser o outro,
E, simultaneamente, nós
Tempestade.

Sobre o Amor
Insano e fugaz, eterno
Espinho e Adverso
Desordeiro
Querer

E tu? Sai ou Fica?

Sobre o amor e seus espinhos (Trecho de pintura de Olga Costa, artista plástica alemã, nacionalizada Mexicana. Atualmente em exposição no Instituto Tomi Ohtake/SP - Frida Kahlo - conexões mulheres surrealistas no México)

Sobre o amor e seus espinhos
(Trecho de pintura de Olga Costa, artista plástica alemã, nacionalizada Mexicana. Atualmente em exposição no Instituto Tomi Ohtake/SP – Frida Kahlo – conexões mulheres surrealistas no México)

Histórias sem fim

O menino

&

A menina

Tem a manhã que inicia preguiçosa
Tem o dia que passa correndo
As vezes fala e não consegue ver
As vezes a observa em silêncio

Ah, conhece e declara o que a agrada
(e não há pudor ou embaraço no dizer)
Por isso, quando o dia é de conquista
joga com o que permite ganhar um tímido sorriso

Nomeia afinidades sem igual
Alguns momentos a paciência acaba
Outros, a perplexidade cala
Ironiza desencontros, e sorri.

planeja, organiza, organiza, organiza
e se perde, sempre, é na fala
Essa ansiedade que a habita
enquanto devaneia em seu sorriso.

Histórias sem fim
Estórias enfim

12065601_1082207815152588_6837711478796290473_n

Insone torpor

O torpor da inspiração insone
que conjunta, intensa e curiosa,
acompanha, preocupa, ri, diverte
cantarola a felicidade na distância
e quer e afirma querer

O silêncio das palavras, dos traços, da cadência
O silêncio da vontade, do prazer, do abraço
O silêncio da possibilidade, do sorriso, do torpor
Confusas confusões intranquilas
seguem silenciando madrugadas insones

Eu não sei me afastar dos meus muros.
[silêncio]

13217742734_da52162c79_o

Teu silêncio [2]

O silêncio gera encantamento ou ansiedade?
É resposta sutil ou pura desatenção
Descaso, desilusão?

Eu
Não
Sei!

Mas decreto, sem mais querer
Nem menos interessar:
Teu silêncio já pode se fazer ausente.
#silencio

#silencio

teu silêncio

Mendigava cafuné
em madrugadas insones
ganhava em troca o silêncio
que vinha com afago suave
num misto de preguiça e vontade

Teu silêncio,
que ora me encanta
ora me inquieta
e, sempre, me atordoa

 

abraço

Versos Gritados [em silêncio]

É que a soma dos nossos silêncios
encurtam a distância para os versos
a calmaria que invade, turbulenta
é a mesma que se contorce em estrofes

Escrita impelida pelo som inaudível
da minha saudade de tua risada
do tempo que passa suave
na preguiça de uma manhã sem fim

E eu?
Escrevo
e só.

15246665141_0d7b0bc20c_o

Esse babaca

Notas sobre olhar
sustenta
silenciosamente
sorrisos
sem
sentido
Notas sobre o silêncio
suspirar
sonoramente
soltando
saudades
sem
sentido
Notas sobre saudades
soturna
sensação
sentida
sem
sentido
Notas não aleatórias
[sobre a vida, o olhar, teu silêncio, minha saudade]
– Sem sentido?
– Com sentido não consentido. O coração, esse babaca.
Notas sobre o óbvio... (imagem de Ricardo Liniers)

Notas sobre o óbvio…
(imagem de Ricardo Liniers)

[Versos Gritados]

Meu silêncio inexiste
Nas linhas minhas
Nos versos gritados
Em sussurros inconstantes

Teu silêncio ressoa
Na inquietude insistente
Na rouquidão de esperar
Um fim
[ou recomeço]

#VersosGritados

#VersosGritados

Série Versos Gritados, escrita em parceria com Phill-it

(http://www.facebook.com/phillitnow)

Navegação de Posts

Caderninho de Ideias

Pra escrever o que eu acho sobre tudo que gosto!

TROVANDO ideias

TROVANDO ideias

cozinha pra machos

todo mundo pode cozinhar

Escreva Lola Escreva

penso, logo escrevo!

Ecce Medicus

penso, logo escrevo!

Blog do Sakamoto

penso, logo escrevo!

%d blogueiros gostam disto: