Notas não aleatórias

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

Arquivo para a tag “Silêncio”

Estranhezas e vazio

a estranheza de querer uma só palavra em meio à multidão

e o eco do silêncio se fazer sentir

[teu silêncio grita, se faz ruidoso vazio
e
só]

Silêncio e vazio

[teu silêncio ecoa vazio…]

e só.

ele entende - ele pensa

Sobre o amor e outras falsas verdades

Naturaliza o silêncio
Os passos do rubor
Da palavra mal dita
Do suor sem vontade
Do sim sem verdade
Insosso cotidiano
Costumeiro, acostumado
Invade a vida, senta na cadeira
E fica ali, acumulando: pó
E quando sai, sacode
Em cinco linhas, sem frases, sem fala, nem coragem
Se espanta com o sorriso do alívio, do outro
Depois da tempestade

Ardor intenso no sábado à tarde
Fome eterna sem saciedade
Maldita? Pele, barba, sorriso
Arranha, ri, morde, goza
G A R G A L H A
E nos dias cinzas, colore a vida
E sabe suportar, em silêncio ou aos brados
Intempéries de tristeza e sanidade
Ou instantes de voraz alegria
Deleita-se com a feliz conquista, do outro
Só pelo outro ser o outro,
E, simultaneamente, nós
Tempestade.

Sobre o Amor
Insano e fugaz, eterno
Espinho e Adverso
Desordeiro
Querer

E tu? Sai ou Fica?

Sobre o amor e seus espinhos (Trecho de pintura de Olga Costa, artista plástica alemã, nacionalizada Mexicana. Atualmente em exposição no Instituto Tomi Ohtake/SP - Frida Kahlo - conexões mulheres surrealistas no México)

Sobre o amor e seus espinhos
(Trecho de pintura de Olga Costa, artista plástica alemã, nacionalizada Mexicana. Atualmente em exposição no Instituto Tomi Ohtake/SP – Frida Kahlo – conexões mulheres surrealistas no México)

Histórias sem fim

O menino

&

A menina

Tem a manhã que inicia preguiçosa
Tem o dia que passa correndo
As vezes fala e não consegue ver
As vezes a observa em silêncio

Ah, conhece e declara o que a agrada
(e não há pudor ou embaraço no dizer)
Por isso, quando o dia é de conquista
joga com o que permite ganhar um tímido sorriso

Nomeia afinidades sem igual
Alguns momentos a paciência acaba
Outros, a perplexidade cala
Ironiza desencontros, e sorri.

planeja, organiza, organiza, organiza
e se perde, sempre, é na fala
Essa ansiedade que a habita
enquanto devaneia em seu sorriso.

Histórias sem fim
Estórias enfim

12065601_1082207815152588_6837711478796290473_n

Insone torpor

O torpor da inspiração insone
que conjunta, intensa e curiosa,
acompanha, preocupa, ri, diverte
cantarola a felicidade na distância
e quer e afirma querer

O silêncio das palavras, dos traços, da cadência
O silêncio da vontade, do prazer, do abraço
O silêncio da possibilidade, do sorriso, do torpor
Confusas confusões intranquilas
seguem silenciando madrugadas insones

Eu não sei me afastar dos meus muros.
[silêncio]

13217742734_da52162c79_o

Teu silêncio [2]

O silêncio gera encantamento ou ansiedade?
É resposta sutil ou pura desatenção
Descaso, desilusão?

Eu
Não
Sei!

Mas decreto, sem mais querer
Nem menos interessar:
Teu silêncio já pode se fazer ausente.
#silencio

#silencio

teu silêncio

Mendigava cafuné
em madrugadas insones
ganhava em troca o silêncio
que vinha com afago suave
num misto de preguiça e vontade

Teu silêncio,
que ora me encanta
ora me inquieta
e, sempre, me atordoa

 

abraço

Versos Gritados [em silêncio]

É que a soma dos nossos silêncios
encurtam a distância para os versos
a calmaria que invade, turbulenta
é a mesma que se contorce em estrofes

Escrita impelida pelo som inaudível
da minha saudade de tua risada
do tempo que passa suave
na preguiça de uma manhã sem fim

E eu?
Escrevo
e só.

15246665141_0d7b0bc20c_o

Esse babaca

Notas sobre olhar
sustenta
silenciosamente
sorrisos
sem
sentido
Notas sobre o silêncio
suspirar
sonoramente
soltando
saudades
sem
sentido
Notas sobre saudades
soturna
sensação
sentida
sem
sentido
Notas não aleatórias
[sobre a vida, o olhar, teu silêncio, minha saudade]
– Sem sentido?
– Com sentido não consentido. O coração, esse babaca.
Notas sobre o óbvio... (imagem de Ricardo Liniers)

Notas sobre o óbvio…
(imagem de Ricardo Liniers)

[Versos Gritados]

Meu silêncio inexiste
Nas linhas minhas
Nos versos gritados
Em sussurros inconstantes

Teu silêncio ressoa
Na inquietude insistente
Na rouquidão de esperar
Um fim
[ou recomeço]

#VersosGritados

#VersosGritados

Série Versos Gritados, escrita em parceria com Phill-it

(http://www.facebook.com/phillitnow)

Navegação de Posts

Caderninho de Ideias

Pra escrever o que eu acho sobre tudo que gosto!

TROVANDO ideias

TROVANDO ideias

cozinha pra machos

todo mundo pode cozinhar

Escreva Lola Escreva

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

Ecce Medicus

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

Blog do Sakamoto

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

%d blogueiros gostam disto: