Notas não aleatórias

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

Arquivo para a tag “Solidão”

Sobre o amor e outras falsas verdades

Naturaliza o silêncio
Os passos do rubor
Da palavra mal dita
Do suor sem vontade
Do sim sem verdade
Insosso cotidiano
Costumeiro, acostumado
Invade a vida, senta na cadeira
E fica ali, acumulando: pó
E quando sai, sacode
Em cinco linhas, sem frases, sem fala, nem coragem
Se espanta com o sorriso do alívio, do outro
Depois da tempestade

Ardor intenso no sábado à tarde
Fome eterna sem saciedade
Maldita? Pele, barba, sorriso
Arranha, ri, morde, goza
G A R G A L H A
E nos dias cinzas, colore a vida
E sabe suportar, em silêncio ou aos brados
Intempéries de tristeza e sanidade
Ou instantes de voraz alegria
Deleita-se com a feliz conquista, do outro
Só pelo outro ser o outro,
E, simultaneamente, nós
Tempestade.

Sobre o Amor
Insano e fugaz, eterno
Espinho e Adverso
Desordeiro
Querer

E tu? Sai ou Fica?

Sobre o amor e seus espinhos (Trecho de pintura de Olga Costa, artista plástica alemã, nacionalizada Mexicana. Atualmente em exposição no Instituto Tomi Ohtake/SP - Frida Kahlo - conexões mulheres surrealistas no México)

Sobre o amor e seus espinhos
(Trecho de pintura de Olga Costa, artista plástica alemã, nacionalizada Mexicana. Atualmente em exposição no Instituto Tomi Ohtake/SP – Frida Kahlo – conexões mulheres surrealistas no México)

Solidão

Solidão é o nome do cão
que dorme sossegadamente,
as vezes suspira e, ruidosamente,
reafirma sua existência,
as vezes acorda faminto
e devora noites insones
#Solidão

#Solidão

Sólida

Sólida
Solidão 
Solidez
Solidária

Só lida
Só lido
Com pouco
O tempo todo

Se foi o inverno

Navegação de Posts

Caderninho de Ideias

Pra escrever o que eu acho sobre tudo que gosto!

TROVANDO ideias

TROVANDO ideias

cozinha pra machos

todo mundo pode cozinhar

Escreva Lola Escreva

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

Ecce Medicus

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

Blog do Sakamoto

[o acaso da vida existe, a aleatoriedade da escrita: jamais!]

%d blogueiros gostam disto: